sexta-feira, 4 de junho de 2010

CAPÍTULO 18

JACOB...


18. INDO ATRÁS DELA POR CAUSA DO LIXO DA IMPRESSÃO

Minhas noites estavam sendo mal dormidas. Idas constantes a casa dos Cullen para ter noticias e saber o que iam fazer só aumentava o meu sofrimento. Levantei para mais um dia sem expectativas. Não tinha mais fome o que deixava Rachel muito preocupada, e Paul também ficava por que sua mulher estava grávida, não podia passar certos tipos de problemas. E a bola de neve ia crescendo.
Eu próprio não me reconhecia mais. Estava sem vontade de fazer qualquer coisa, apenas ir atrás de Renesmee. Toda vez que eu pensava nela a dor me consumia. Quando chegava na porta da casa dos Cullen, a dor estava me esperando na escada. Tudo estava um lixo por causa do lixo da impressão.
Por que a impressão não podia entender que Renesmee foi por que quis, por que não podia aceitar um pé na bunda? Mas não era só a impressão. Eu também não aceitava. Não havia motivos para aquilo.
Calcei um tênis qualquer, vesti uma regata branca e saí do quarto. Passei no banheiro para escovar os dentes e as minhas olheiras estavam mais fundas do que os abismos dos penhascos de La Push.
Passei pela sala, Rachel me parou, sua cara não estava boa.
-O que foi agora?-perguntei, mal humorado.
-Jake, o café está na mesa.-ríspida, ela falou. Seu tom não era nada bom.
-Não estou com fome... se eu sentir, prometo caçar alguma coisa.-menti, sabendo que não sentiria fome.
-Jacob Black, você não vai sair dessa casa até sentar naquela mesa e comer como um humano!-ela gritou, colocando o dedo no meu tórax.
-Não estou com fome, Rachel...-tentei tirá-la da minha frente, então o show de dramaticidade barato começou.
-Se você não comer, juro que não como também, e você vai se sentir culpado para o resto da vida por ter matado seu sobrinho e sua irmã de fome.-ela ameaçou e Paul limpou a garganta lá na cozinha.
-Que ótimo!-falei, indo até a cozinha e vendo Rachel começar a chorar.
Sentei na mesa e ela abraçou Paul que estava junto do armário. As lágrimas de Rachel desciam pesadas.
-O que foi agora?-perguntei, enchendo uma tigela de leite para colocar uns cereais.
-Pensei que você estava tentando se matar. Sabia que os lobos fazem isso? Assim que Paul teve a impressão por mim, meu pai me explicou como funcionava. Eu não poderia me afastar de Forks, não poderia me afastar dele, porque Paul já estava apaixonado por mim, não queria apenas me proteger, queria me ter, como objeto de devoção. Se eu fosse embora ele se mataria aos poucos, ficaria inconsolável e iria parando de comer aos poucos. Pensei que era mentira ou exagero de Billy, mas não arrisquei. Agora vejo que é verdade. Por isso, Jake, eu não quero te ver morrendo... você é a única coisa eu tenho da família aqui... não me deixe...-ela disse, e abraçou Paul, soluçando alto. Eu não tinha colocado nenhuma colherada de cereal ainda na boca.
Aquilo me deixou mal. Resolvi comer. Ela parou de chorar e ficou me olhando.
-Vamos, Rachel, venha descansar. Você não pode ficar tendo essas emoções fortes... é ruim para você e para o nosso filho.-Paul disse levando Rachel para o quarto.
-Come, tá? Por mim...-ela pediu, antes de sair.
-Eu não vou morrer!-protestei, sorrindo.
-Eu espero que não...-ela sussurrou antes de sair da cozinha.
E eu não ia morrer, não antes de ver Renesmee, de saber porque ela tinha ido embora, antes de saber por que ela tinha sido tão insensata a ponto de me deixar aqui por não sei o quê.
Comi todo cereal sem notar. Quando vi, a colher já não trazia nada, resolvi colocar mais um pouco. Me apressei. Hoje os Cullen estavam planejando viajar, eles já tinham um plano, eu queria estar por dentro de tudo.
Antes de sair passei no quarto de Rachel, não queria deixá-la tão preocupada comigo. Ela dormia e Paul roncava em uma cadeira ao seu lado. Beijei-lhe a testa e saí.
Eu não iria me transformar, resolvi pegar o carro de Paul emprestado. Se ele precisasse sabia onde me encontrar, acho que La Push inteira sabia. E mais uma vez peguei a estrada que levava para a casa dos Cullen, meu ânimo não era dos melhores, como se eu estivesse de novo prestes a voltar para casa com a mesma resposta de sempre: Estamos planejando...
Mas eu me acalmava internamente, falando para mim mesmo que só tinham se passado dois dias, não teria acontecido nada, ela foi porque quis, não deve estar correndo perigo...
A dor bateu forte só de pensar que essas ideias positivas eram pura enganação. Renesmee podia se fazer de forte, mas por dentro ela ainda era a meia humana inexperiente e frágil de sempre e isso me matava por dentro.
Acelerei, a chuva fina batia no para brisa, embaçando um pouco a visão da estrada. Não foi muito tempo até chegar lá. Parei o carro e desci correndo, os pingos da chuva já estavam fortes. Parei na porta e logo Alice a abriu.
-Bom dia, Jake!-com uma emoção a mais, ela me cumprimentou. Eu apenas retribui cumprimentando com a cabeça.
Na sala não vi ninguém. Alice suspirou.
-Todos estão fazendo as malas... oh! Sim! Edward quer te ver. Ele tem uma... proposta para você.-ela disse, me olhando de cima a baixo. Logo que Edward apareceu na porta da cozinha, ela subiu as escadas apressada.
-Bom dia Jacob. Eu sei como você está cansado e o pior, como a impressão tem machucado você, mas também temos feito ao máximo o melhor plano para Renesmee estar de volta o quanto antes.-ele disse, me conduzindo até o sofá. Sentei, não tinha dito uma só palavra desde que cheguei.
-Alice disse que tem uma proposta...-incentivei, ele parecia querer falar, mas estava lendo minha reação.
-Na verdade, não é uma proposta, é mais um convite. Sei que você tem seu bando, seus deveres como alfa, mas talvez se sentisse melhor indo conosco até a Itália. O que acha? Poderia ir?
Respirei fundo, era a melhor coisa a fazer... a impressão tomou conta do meu cérebro, um plano de matar todos os vampiros da Itália estava começando a se formar na minha mente.
-Eu acho que sim... mas tenho que preparar as coisas em La Push...-falei, me lembrando dos garotos.
-Você precisa de quantas horas?-Edward falou categórico.
-Não deve levar nem meia hora.-falei, sabendo que um só lobo poderia espalhar a noticia da minha viagem ao bando todo, transformado ou não.
-Então, faça as malas, estaremos partindo antes do crepúsculo em direção a Seattle e de lá para Roma.-ele se levantou e eu o segui. Quando ia em direção a porta ouvi Bella chamar Edward. Então vi que ela já descia as escadas, seu rosto, acho que nunca a tinha visto daquela forma. Estava totalmente desfigurado. Tinha dor, angústia, medo. Tudo junto.
Meu corpo tremeu. Edward leu imediatamente minha mente e sua expressão ficou dolorosa também.
-Bella tem sofrido mais do que qualquer um de nós por causa da partida de Renesmee. De alguma forma as vampiras tem um extinto materno muito mais poderoso do que de qualquer outro animal.-ele justificou, e Bella tentou sorrir para mim ainda do alto da escada.
-Tudo vai ficar bem, Bells!-eu gritei, antes de sair. Não ouvi se ela respondeu. Edward não esperou até que eu chegasse ao carro, fechou a porta e foi ao encontro de Bella.
A chuva estava mais forte ainda. Deslizei para dentro do carro, minha blusa já estava molhada. Rapidamente liguei o carro e acelerei de volta a La Push. Eu não sabia se minha decisão tinha sido a melhor para o meu bando, mas com certeza foi a melhor para o meu coração.
Meu espírito estava mais leve, até minha mente não tinha uma enorme bola de dor que antes ficava me martirizando. Desejei trazer Renesmee no mesmo dia. Imaginei ela aqui em Forks de novo, como se nada disso tivesse realmente acontecido. Eu nunca mais deixaria que ela saísse de perto de mim, nunca.
Cheguei a reserva, encontrei Quil na oficina de Sam, chamei ele logo atendeu. Não saí do carro. Ele me olhou indiferente, mas sorriu.
-Novidades?
-Na verdade tenho algumas instruções...-falei, ainda sem saber como iria falar a Quil que ia viajar.
-E quais são?-ele perguntou, impaciente, estava no meio da chuva. Resolvi falar logo tudo de uma vez.
-Estou indo com os Cullen para a Itália, não sei bem quando volto ou se eu volto, mas quero que instrua o bando até eu voltar. Não quero nada de ordens forçadas, entendeu Quil? Apenas o necessário. Rondas e só. Na ausência dos Cullen outros vampiros podem querer desfrutar da área, então deixe o bando em alerta.-falei e ele sorriu.
-Eu serei o líder?-ele disse parecia não acreditar.
-É, temporariamente. Estou depositando minha confiança em você, Quil. Espero que o bando esteja sem nenhuma reclamação quando eu voltar.-seriamente falei, mas seu sorriso permaneceu.
-Se voltar...-ele ressaltou, ironicamente.
-Eu juro que se você colocar os garotos sobre qualquer ordem sem lógica, venho, nem que saiba do inferno, te atormentar...-puxando o colarinho da sua camisa, falei duro.
-Pode deixar, Jake! Até parece que não me conhece!-ele falou, já com medo.
-Por te conhecer, estou ressaltando isso. Boa sorte.-soltei sua camisa e ergui o vidro do carro, arrancando.
Parei em frente à casa de Rachel e entrei. Não vi ninguém, não procurei também. Rápido, fui para o quarto e agradeci a Deus por ter uma irmã tão legal como Rachel! Santa Rachel! Minhas camisas estavam limpas, acho que todas as minhas roupas estavam ali.
Peguei a mesma mala que levei para o Texas, estava tão empoeirada que o preto parecia cinza de tanto pó. Bati algumas vezes e abri. Coloquei várias mudas de roupa, afinal eu poderia acabar explodindo várias roupas por lá.
Minha escova de dentes... eu não sabia como iria ser, se uma viagem de caça aos vampiros ou apenas uma viagem de resgate. Mas resolvi levar alguns produtos de higiene pessoal. E por fim, mas não menos importante, minhas poucas economias. Fazia pouco tempo que eu estava em La Push e Sam não pagava tão bem assim, afinal ele também não recebia muito.
Meus 600 dólares estavam em uma meia, e fiz questão de deixá-los lá. Talvez, e eu tinha quase certeza, eu não precisaria nem tocar naquele dinheiro. Os Cullen eram milionários não eram?
Mas melhor prevenir. Me olhei no espelho. Eu não iria tomar um vôo internacional assim, iria? Calça jeans, regata branca molhada e um tênis do tempo que meu pai estava vivo. Não estava dos piores. Mas resolvi trocar a camisa. Vesti uma preta de gola pólo e saí. Onde estaria o casal “Meu filho vai nascer”?
-Rachel? Paul?-chamei, mas ninguém respondeu. Resolvi deixar um bilhete preso no imã da geladeira. Escrevi rápido, minhas letras já não eram tão legíveis com a pressa que eu escrevi ficaram ainda mais embaraçadas. Mas daria para entender.
“Rachel,
Fui para Itália. É, eu sei, é loucura. Mas eu sou um pouco louco e você sabe disso. Não sei quando volto. Por favor, não fique preocupada e se cuide! Preciso que você esteja bem quando eu voltar.
Jacob”
Eu ia colocar um “eu te amo”, mas a pressa era grande, então resolvi abreviar. Saí correndo. Como eu explicaria que o carro de Paul estava na casa dos Cullen? De alguma forma eu avisaria depois.
Correndo, voltei para lá o mais rápido que eu pude. A chuva não tinha melhorado. Poças enormes estavam por todo o caminho, dificultando ainda mais minha chegada.
Assim que estava próximo a entrada, notei que os carros estavam já fora da garagem, sinal de que eles apenas me aguardavam. Parei e entrei rápido. Eles teriam ainda que me explicar o plano. Todos estavam na sala.
-Olá Jacob. Você está com roupas aí? Porque se não...-Esme me cumprimentou e começou a oferecer.
-Muito obrigado. Eu trouxe uma mala. Acho que é o suficiente.-respondi e vi que Emmett me olhou sorridente.
-Talvez você nem precise das roupas, lobo. Se precisar vai ser apenas para o enterro.-ele disse e Bella tossiu forte fazendo Emmett perder o sorriso de antes.
-Jake. Voltaremos todos bem.-secamente ela falou e Edward abraçou-a e beijou no topo da sua cabeça.
-Com certeza. Vamos pegar Renesmee e vir para casa, todos sãos e salvos.-Edward disse e Bella forçou um triste sorriso.
-Então, qual o plano?-perguntei, ainda em pé perto da porta. Vi que as malas foram rapidamente retiradas da sala.
-Vamos conversar mais no carro.-Edward disse, colocando uma bolsa nas costas. Eu imaginei porque tantas coisas.
-Não sabemos quanto tempo permaneceremos em Roma. E vampiros precisam de toda cobertura corporal possível.-Edward explicou.
-Vamos? Tudo pronto.-Alice apareceu na porta.
-Vamos, Bella.-Edward passou os dedos na bochecha pálida da esposa. Bells não se moveu, tinha os olhos perdidos no chão.
-O que foi Bells?-perguntei me aproximando. Edward também esperava uma resposta.
-Bella, amor... vai dar tudo certo. Vamos trazer Nessie para casa...-ele disse, puxando seu rosto para encarar seus olhos. Bella lentamente foi voltando a si.
-Não vai ficar tudo bem, Edward. Seja lá o que levou Renesmee pra Itália não vai deixá-la voltar tão facilmente. Eu não quero que... minha família seja... destruída.-ela disse, seu rosto se contorceu, eu senti vontade de chorar por ela, derramar minhas lágrimas por seu sofrimento. Edward também tinha a expressão transtornada.
-Ninguém vai destruir nossa família Bella. Eu prometo amor... os Volturi nunca nos farão mal. Confie em mim... eu preciso da sua confiança, Bella.-os dois se olharam profundamente. Era muito forte a dor que os dois juntos estavam sentindo. Acho que minha impressão ficava no chinelo comparado aquela cena.
-Eu confio em você, Edward. Não confio nos Volturi.-ela disse, ainda com os olhos nos de Edward.
-Garanto que conseguiremos. Eu te amo, amo minha filha, não vou deixar que nenhum deles faça mal algum a vocês...-Edward falou raivosamente.
Meu corpo tremeu, como se o perigo fosse eminente e estivesse ali.
-Mas meu medo é por você... minha vida não terá mais sentindo sem você ou sem a Nessie, então, acho melhor, se for para os Volturi matar alguém, que seja eu... você deve continuar e cuidar da Nessie e...
-Bella,amor... chiii. Não vamos pensar no pior, está bem? Vamos para o carro. Depois para Itália e logo estaremos em casa.-Edward disse, parecendo encerrar o assunto.
Bella passou a mão no rosto, acho que simulando limpar as inexistentes lágrimas e recebeu com fervor o beijo de Edward. Aquela cena me fez lembrar de outros tempos, onde era Bella a razão para tanta preocupação, o objeto de todas as grandes encrencas. Encrencas da boa e com os vampirões da Itália também.
Ao fim, os dois se abraçaram e me olharam um pouco perturbados.
-Vamos, então!-Bella disse, seu sorriso estava mais despreocupado, como sua expressão. Segui os dois e entrei na Mercedes Guardian de Bella, Edward iria dirigindo. Atrás Alice, Jasper, Rosalie e Emmett iam no Porshe amarelo, um exibicionismo barato, já que a velocidade máxima nas estradas não chegavam nem a fazer cosquinha na potência do Porshe.
Carlisle e Esme estavam no modelo mais recente de uma BMW, nem eu mesmo sabia como se chamava, era prata e muito, mais muito bonito. Um sonho de consumo de 10 a cada 10 americanos.
-E então, qual é o plano?-perguntei do banco de trás, enquanto Edward saía com rapidez da estrada de chão e chegava a Forks em poucos minutos.
-Em Volterra, tentaremos observar o que Renesmee está fazendo lá. Até acharmos um momento oportuno de trazê-la de volta.-Edward disse, sem muita emoção. Parecia não se agradar do plano, que realmente não era tão genial assim.
-E onde eu entro nessa história?-perguntei, meio sem graça de ficar no escanteio.
-Você é nosso elemento surpresa.-Bella sorriu, um pouco sem jeito de me dizer o que isso significava.
-Hum... adoro surpresas!-falei, gargalhando no banco de trás – E como eu serei a surpresa?-ainda não sabendo direito minha função, tentei persuadir o casal.
Os dois se olharam e simultaneamente fixaram os olhos na estrada. Foi Edward quem me respondeu.
-Você vai ser o elemento crucial na decisão de Renesmee. Quando tentarmos convencê-la a voltar para casa, você vai entrar como o motivo mais forte, digamos que o decisivo, na decisão dela.
Essas palavras fizeram com que eu me sentisse usado. Mas eu gostei.
-E se não der certo? E se ela não me achar motivo suficiente para voltar?-confiando em meu poder de convencimento, mas não confiando na Renesmee que eu acharia lá, quebrei o clima de confiança do plano.
-Vai dar certo. Você é o suficiente para ela voltar.-Bella disse, me olhando fixamente pelo espelho do retrovisor.
Calei. Não perguntei mais nada. Apenas respondi as perguntas de Bella sobre como ficou o bando, se Forks estaria protegida... trivialidades.
A estrada rapidamente ficava para trás. Antes de uma hora já estacionamos na pequena pista de pouso de Port Angeles para pegar um avião até Seattle. De lá o vôo seria internacional.
Edward escolheu o mais caro e o que fazia menos escalas ao longo da viagem. Me perguntei se deveria oferecer algum dinheiro para ajudar, mas não vi ele nem Carlisle reclamar sobre esse assunto. Meu dinheiro estaria preservado dentro da meia.
-Ei, meu passaporte...-falei, lembrando que estava na mala.
-Não se preocupe. Os passaportes falsos são uma cortesia da casa.-Emmett falou, abraçado com Rosalie. O clima frio de Seattle me lembrou Forks. Eram seis da tarde quando o avião decolou.
Eu queria não pensar em como seria ver Renesmee com aqueles vampiros, mas a imagem dela, vestida em uma capa preta me fez gemar sentado na poltrona do avião.
Durante o vôo noturno, não consegui fechar os olhos. Mil e um pensamentos zumbiam em meus ouvidos. Não aceitei a comida oferecida pela aeromoça, muito simpática. Quando o avião desceu, Edward me fez comer alguma coisa, como se eu fosse um garotinho e ele meu pai. Não gostei daquela posição.
-Não queremos um lobo fraco ao nosso lado. Coma. Precisamos de toda energia necessária, se caso tivermos um confronto.
Eu não disse nada. Apenas comi os hambúrgueres que me eram trazidos. Depois do quinto copo de Coca-Cola, me senti internamente satisfeito. Novamente o avião rumo a Europa. Não havia mais dor dentro de mim, mas ansiedade. Nem medo de acontecer alguma coisa, de algo dar errado, não me passava pela cabeça, apenas ansiedade.
Assim que o avião pousou em Roma, um calafrio me tomou. A imagem de Nessie com uma capa preta ainda me assombrava.
-Edward, vou alugar dois carros. Devemos chegar a Volterra sem chamar a atenção...-Carlisle falou, estávamos na saída do aeroporto.
-Quem sabe se pegássemos um daqueles ônibus de turismo?-Esme sugeriu e Edward pareceu ter uma ideia.
-Isso mesmo. Devemos ir como turistas. Não sei se nossa presença vai ser notada assim que chegarmos lá. Mas dessa forma não chamaremos tanta atenção.
-Devemos aproveitar que o clima aqui está chuvoso, se o sol aparecer, teremos problemas.-Alice disse, e para eles isso realmente era um grande problema.
Por alguns minutos Carlisle conversou com uma mulher no balcão de passeios turísticos pela cidade e as nove da manhã saía um grupo em direção a Volterra, era o único do dia.
Embarcamos no ônibus que não estava tão lotado, tinha muita gente velha, poucos casais com crianças. Os Cullen se destacavam entre as pessoas comuns. Eu parecia mais um americano perdido na Europa.
-Lá está Volterra, a cidade dos patronos das artes!-o guia disse, e muita gente colou os olhos nos vidros para olhar. Eu tive que buscar coragem para fazer isso, mas quando encontrei, desejei não ter feito isso. Meu corpo inteiro começou a tremer, uma fúria descontrolada me tomou.
-Jasper...-Edward solicitou os poderes do vampiro para me controlar, mas não foi fácil. Quando o ônibus parou em frente a um velho prédio e todos começaram a descer, eu tremi.
Aqui estava eu, Renesmee. Vim te buscar. Sussurrei para mim mesmo.

25 comentários:

  1. Hmmm..
    Eu gostaria de saber quando vc vai postar os outros capitulos??
    Parabens!!
    Você escreve muito!!!

    ResponderExcluir
  2. É eu tb estou louca para ler os proximos capitulos quando vc vai postar??

    ResponderExcluir
  3. É eu tb estou louca para ler os proximos capitulos quando vc vai postar?? +1

    ResponderExcluir
  4. E ai, vai postar de novo quando?

    ResponderExcluir
  5. Oieeee...Nova no blog. Eh estou adorando "Lua Cheia"...Parabéns...A história está maravilhosa.Vou continuar acompanhando cada capítulo.Estou no começo ainda, mas ansiosa pelos proximos .Mais Mais Mais...E aí quando sai?

    ResponderExcluir
  6. ho guernan cade o resto?
    adoro sua historia
    espero q sejam postados logo
    bjo

    ResponderExcluir
  7. O livro da a cada dia mais lindo Gueirnan!
    Agente,fica numa ansiedade enorme de saber logo o final e isso prende a nossa atenção nessa histório maravilhosa.
    Parabéns pelo belo trabalho que mereçe tb ser publicado
    bjo

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus, eu achei que a Renesmee iria desistir, nem sei mais que que eu acho que vai acontecer...
    Eu tô cada vez com mais pena do Alec...
    Mas o livro tah ótimo, estou amando...

    ResponderExcluir
  9. renesmee
    vc è boba? voltaaa com o jacob se vc nãoo quiseer podee manda ele pra miim q eu queroo shuashua
    postaaaa logoooo os outroos *-*
    to amandooo parabèns *-*

    ResponderExcluir
  10. Aiiiiin *--*
    Será que eles vão ter um reencontro no próximo capítulo ???
    [yn][yn][yn]
    Ansiosa :x

    ResponderExcluir
  11. posta mais, to amando a história, o que vai acontecer no proximo capitulo????

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. eu morrer de anciedade, posta logo , esta maravilhoso!!!!!!!!!!!!!!1

    ResponderExcluir
  14. vc escreve muito bem..
    quando vai postar os outros capitulos??
    PARABÉNS!!!
    esta muito bom...... estou doida pra ver o q vai acontecer!!!
    Beijosss...=)

    ResponderExcluir
  15. Quando vai postar mais ?! estou MUITO ansiosa para ler o reencontro do Jacob com a Nessie, mas ainda prefiro que ela ficasse com o Alec *0*

    ResponderExcluir
  16. naum kra a parte do chinelo fico muito boa meu rsrsrsrsrsrs
    eu me rechei no meio de rir mas olha eu fikei com falta de ar minha mãe tve q me abanar se naum eu ia morrer de rir aki.

    q xico alec o negocio aki é o jake manda ele k pra mim em aracruz cum lacinho amarrado no pecoço q eu to esperando


    ra ta muito bom mais vão parar com esse posta logo kd o resto ta muito xato a gente vai ler o comentario e ta kd o resto posta mais vamo falar da parte mais engraçada da parte q mais gosto ta bjos na boxexa ta
    olha so team jacob team emett team seth com muito orgulho kolok a renesmee pra fikar com o jacob no reencontro assim ficar pra valer ta beijo

    xauzin


    thami J.A.T.L.B.B.S

    ResponderExcluir
  17. Nossa eu to apaixonada pelo lua cheia ele deveria fazer sucesso,escreva um livro,tenho certeza de que todo mundo vai gostar,afinal é perfeito,está de parabens.

    ResponderExcluir
  18. Eu kero só ver o q o jacob vai com Alec quando souber...
    Adoro como vc escreve sinceramente vc escreve melhor do q a Meyer!!!!!

    ResponderExcluir
  19. pra mim, a resnesme tinha que ficar com o alec mesmo, pq o jacob ficava pra mim! :D

    ResponderExcluir